Notícia do Portal

01/02/2013 10:49 (3810 acessos)

Conselho Estadual de Educação comemora 50 anos lançando selo e homenageando ex-presidente

O Conselho Estadual de Educação de Sergipe lançou na tarde da última quinta-feira, 31 de janeiro, o selo comemorativo aos 50 anos de fundação da instituição e prestou uma homenagem ao seu ex-presidente e  conselheiro aposentado do Tribunal de Contas, José Carlos de Souza. A solenidade aconteceu no Palácio-Museu Olímpio Campos e contou com a presença do secretário de Estado da Educação, Belivaldo Chagas, que representou o governador Marcelo Déda.

 

Para o secretário Belivaldo Chagas, o Conselho Estadual de Educação cumpre relevantes serviços à sociedade, sempre direcionando suas ações para a melhoria do ensino em Sergipe. "Comemorar 50 anos é significativo para o órgão, conselheiros e sociedade sergipana. Quero parabenizar também a iniciativa do Conselho Estadual de Educação em prestar homenagem a José Carlos de Souza, cuja capacidade intelectual e moral é reconhecida por todos os sergipanos", disse o secretário. Belivaldo Chagas foi quem entregou a José Carlos de Souza a placa comemorativa pelos 50 anos do Conselho.

 

Vigor

 

"O Conselho já não é um jovem mancebo, mas um adulto no vigor dos seus 50 anos. Ele nasceu exatamente onde nos encontramos agora: Palácio Olímpio Campos". A afirmação é da presidente do CEE, Eliana Borges de Azevedo, ao lembrar que a instituição foi criada pela Lei Estadual n° 1.190, no governo de João de Seixas Dória.

 

"Hoje percebemos que o Estado de Sergipe priorizou a educação. Se estivessem aqui todos os que se fizeram presentes há 50 anos, certamente afirmariam que aquela criança passou pela adolescência, chegou à idade adulta e, ao completar meio século de existência, cumpriu suas relevantes funções de forma independente, equilibrada, justa, sempre revestindo seus atos de amor à causa da educação", ressaltou Eliana Borges.

 

Evolução da educação

 

Para Eliana Borges, o Conselho de hoje é um órgão moderno, célere, que acompanha a evolução da educação. "O Conselho de amanhã, com certeza, será ainda mais forte, mais atuante e dedicado à educação de Sergipe e do Brasil", disse. Para a presidente do CEE é preciso dar continuidade ao trabalho que vem sendo desenvolvido durante esses 50 anos. "Somente nos desvinculando das paixões, dos interesses pessoais e da máxima de que nada se constrói positivamente sem a participação efetiva dos interessados é que obteremos um resultado positivo", ressaltou.

 

Para os próximos anos, Eliana Borges disse que compete ao Conselho continuar construindo um modelo de educação eficiente, que promova políticas públicas de inclusão social, resgatando aqueles que se encontram alijados do acesso à educação, lutando pelo combate ao analfabetismo e pela obtenção da escolaridade plena das futuras gerações.

 

"Um país em franco desenvolvimento deve ofertar uma educação justa e digna. O vocábulo ‘justa´ quer dizer investimento de acordo com a arrecadação tributária paga pelos contribuintes, e ‘digna´ quer dizer existência de condições materiais necessárias ao desenvolvimento do aprendizado pelo aluno e a qualificação constante dos profissionais da área do ensino", disse a presidente do CEE.

 

Eliana Borges destacou a importância do apoio do Governo do Estado, da Secretaria de Estado da Educação e da sociedade para que o Conselho possa continuar construindo e criando um modelo de educação para o país. "A educação é uma atividade fim para o Estado. Para a sociedade, a educação é o meio, talvez o único, para alcançar a segurança, a honestidade e a liberdade com responsabilidade que tanto ansiamos", disse.

 

Bastante emocionado, o ex-presidente do Conselho Estadual de Educação, José Carlos de Souza, agradeceu a homenagem. "Consagrei a maior parte da minha vida pública e particular a atividades educacionais; quer no exercício de cargos administrativos, quer em funções magisteriais, procurando, nessas atividades, instituir também oficinas de fazer amigos", revelou.

 

Otimista quanto ao futuro do país, o homenageado disse: "Situo-me entre os que ainda acreditam no Brasil e no espírito criativo e patriótico da nossa gente. O país é maior do que seus problemas. Ele tem tudo para dar certo. Crer e lutar é preciso. A história nos ensina que as crises estimulam as grandes soluções", ressaltou.

 

Histórico

 

A conselheira e professora Tereza Cristina Cerqueira da Graça fez um relato histórico do cinquentenário do Conselho. Ela lembrou várias ações da instituição nas décadas de 1960 e 1970, até chegar aos dias atuais. Em nome dos conselheiros, o professor Antônio Ponciano Bezerra saudou o homenageado e citou algumas ações realizadas por este para melhorar a qualidade do ensino em Sergipe.

 

Autoridades e membros do Conselho também receberam um bottom em comemoração aos 50 anos da instituição. O brinde foi distribuído por um aluno e uma aluna do Colégio Estadual Barão de Mauá.

 

Presenças

 

Além de parentes e amigos do ex-presidente do CEE, participaram da solenidade a secretária adjunta da SEED, professora Hortência Araújo; os desembargadores Edson Ulisses e Cesário Siqueira Neto; o reitor da UNIT, professor Jouberto Uchôa; o desembargador federal Vladimir Souza Carvalho; o juiz federal Edmilson da Silva Pimenta; o presidente da Faculdade Pio Décimo, professor José Sebastião dos Santos; os membros do Conselho Estadual de Educação, Ana Lúcia Muricy, Antônio Ponciano Bezerra, Almiro Oliva Alves, Carlos Waldemar de Aboim Machado, Carlos Alberto Travassos, Eliane Passos, Joel de Almeida Santos, José Joaquim Macêdo, José Sebastião dos Santos Filho, Maria Auxiliadora Pires, Maria José Vieira, Sérgio Dantas Mendonça, Tereza Cristina Cerqueira e várias outras autoridades.

Voltar à página anterior