Notícia do Portal

26/02/2019 11:51 (130 acessos)

Já estão disponíveis os resultados individuais do Encceja 2018

Já estão disponíveis para consulta os resultados individuais do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) 2018, referentes ao Ensino Fundamental. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) antecipou em um dia e disponibilizou os resultados na tarde desta segunda-feira, 25 de fevereiro. Segundo consta no site do Instituto, o acesso às notas exige login no Sistema Encceja ou no Sistema Encceja Exterior. Acessando os mencionados sistemas, os interessados podem verificar as notas de todos os participantes do Encceja Nacional PPL, Encceja Exterior Regular e Encceja PPL. O Inep já tinha divulgado todas as notas do Ensino Médio e a nota do Ensino Fundamental para participantes do Encceja Nacional Regular.

 

Em se tratando do Certificado e Declaração Parcial de Proficiência, quem obteve a nota mínima exigida em todas as quatro áreas de conhecimento e na redação terá o certificado do ensino fundamental emitido por instituição brasileira. Aqueles que obtiveram a nota mínima apenas em algumas áreas de conhecimento terão direito à declaração parcial de proficiência. O Inep reforçou que, com a declaração, o participante fica liberado de repetir as provas da mesma área de conhecimento em futuras edições do Encceja. O participante que fez a prova no Brasil deve procurar a instituição certificadora que selecionou durante a inscrição. O participante que fez o Encceja Exterior receberá os documentos no consulado, posteriormente.

 

Desde 2002, o Inep é responsável pela aplicação do Encceja no Brasil e no exterior. O exame visa aferir competências, habilidades e saberes de jovens e adultos que não concluíram o Ensino Fundamental ou o Ensino Médio na idade adequada. O Encceja Exterior é aplicado em parceria com o Ministério das Relações Exteriores. A aplicação para pessoas privadas de liberdade também é oferecida em outros países, principalmente no Japão.

 

 

 

* Com informações do Inep

Voltar à página anterior